Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Vida de todos os Dias

Para quem ler estas paginas fique a saber que o que aqui vai é o conteúdo do que vai na minha vida, na minha cabeça, do que meus olhos vêm, do que meus ouvidos ouvem e do que meu coração sente e anseia!

A Vida de todos os Dias

Para quem ler estas paginas fique a saber que o que aqui vai é o conteúdo do que vai na minha vida, na minha cabeça, do que meus olhos vêm, do que meus ouvidos ouvem e do que meu coração sente e anseia!

13
Set19

É incrivelmente difícil ser mãe!


Mulher, Mãe, Esposa de todos os dias

Ouvimos a nossas mães muitas vezes dizerem-nos quando eramos novas que um dia iriamos entender, que íamos ver que não é fácil. Mas nunca pensamos, nem imaginamos o quanto duro é.

Amo meus 3 filhos mais do que tudo, pensava que sabia o quer era o amor, amo meus pais, irmãos e marido, pensava que sabia o que era o amor, mas só a partir do momento que fui mãe é que realmente soube o que era amor, soube e senti com todo o esplendor o verdadeiro significado de amar.

E por mais que amemos nossos filhos, pensamos que raio fomos nos fazer, porque é que fui ter filhos! É duro, é complicado, é avassalador, é cansativo e é para o resto dos nossos dias!

Ninguém nos avisou, nos preparou para isso! Mas também vejo que não é fácil explicar o porquê de ser tão duro, tão difícil ser mãe! Estou a tentar escrever este texto e não sei como colocar isso por palavras, pois o que mais se destaca quando nos deparamos com dias mais complicados que o normal, sim porque todos os dias o são, uns mais que os outros, mas o que mais se destaca é o sentimento que temos, este sentimento de impotência, de não sabemos realmente o que estamos a fazer e como vamos arranjar forças para o fazer todos os dias. Temos essa sensação no peito, um constante arrepio a volta do coração que nos dá a sensação de incapacidade, de angústia, descobri que ser mãe é viver em constante angústia, mesmo que eles estejam todos bem e de saúde.

É o dia a dia que se torna duro, não tenho filhos difíceis de lidar, não tenho! Mas é inevitável quando se tem 3 filhos, uma com quatro anos e gémeos com 2 e meio, que haja sempre barulho, uma birrita, gritos, são crianças eles pegam-se e querem tudo o que outro quer.

É estares a fazer o jantar e todos te pedirem colo, água, ir a casa de banho, non stop ouvires mãe, mãe, mãe, mãe, mãe, mama, mãe, mãe, mãe, mãe, mãe, mãe, mãe, mãe, mãe! O pai esta com eles, literalmente com eles, mas eles são se viram para a mãe! Mãe o mano bateu, mãe a mana tirou, mãe quero, mãe posso, mãe não quero, mãe tudo, mãe nada! Isso o dia todo, o dia todo com pequenas adoráveis criaturas que não param 2 segundos, eles estão no chão, olhas para o relógio e já tens um em cima da mesa e tu nem sabes como lá foi para porque já que nem tens a cadeiras ao pé da mesa para evitar essas situações. Tens o outro que esta a atirar os brinquedos pela janela fora pois acha que o nosso cão quer brincar e tens outro aos gritos porque o mano atirou o brinquedo pela janela! Não é todos os dias assim, não é o dia todo assim. Mas não estamos longe disso!

Eles são pequenos e brincam, mas pegam-se e chateiam-se é compreensível, faz parte do pacote. E isso tudo acontece enquanto tu estas cansada, porque para alem de seres mãe tens um trabalho fora de casa e tens uma casa para tratar e nesse momento estas a tentar fazer alguma coisa, quer seja fazer a cama, dobrar roupa, fazer o almoço, aspirar, organizar uma prateleira, lavar louça, respirar, ir a casa de banho. Sim, o ir a casa de banho não é tão fácil quanto isso, é quando tu vais fazer teu chichizinho que as maiores desgraças acontecem, nem fechas a porta não vale a pena, eu não fecho porque se o fizer parece que os barulhos que vem de fora ficam ampliado e assim imaginas o fim do mundo, então deixo aberta, sempre consigo ver se os 3 passam a correr pelo corredor aos gritos e sei que não estão a morrer. Temos ainda as noites mal dormidas, as horas das refeições, quando estão doentes e se frequentam creches e jardins de infâncias nem se fala, quando tu estas doente, quando organizas uma saída.

Parece cómico, mas não é! É muito duro, é difícil! Por mais que tentes não consegues evitar de gritar, eu tenho a sensação que passo a vida aos gritos, parece que não me sei comunicar de outra maneira. É o santo dia todo! Nossa cabeça começa a doer, mas dói, dói mesmo muito, lateja, teus olhos doem, não sabes para que lado te virar, não sabes o que fazer, nem sabes o que estas a fazer! Achas que não estas a fazer nada, sentes-te pequenina, quando na realidade estas a fazer tudo e mais ainda. Custa muito, porque existe sempre esse sentimento de que não sabemos os que estamos a fazer e é muito cansativo, vivemos constantemente cansadas.

Eu entendo a existência das depressões, entendo muito bem o porquê de haver muitas mães com depressão, é mais do que compreensível. Eu nunca tive, espero nunca vir a ter. Minha mãe teve lembro-me perfeitamente. A quem esteja a passar por isso, muita força para se levantar, mas saibam que nós mães que não temos depressão que não custa menos, passamos exatamente pelo mesmo.

Ser mãe é duro, dói, é avassalador, é cansativo, é tudo muito intenso e com sentimentos muito ampliados, porque amamos nossos filhos, amamos aqueles pestinhas com cara de Anjo mais que tudo! E é por amarmos tanto que custa tanto!

Não vou dizer que vai passar, pois não sei, ainda estou muito no início desta aventura de ser Mãe.

MaeCansada.jpg

 

22 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D